Notícias

NATAL

SINTE convoca reunião com terceirizados das escolas de Natal para tratar dos atrasos de pagamento

133

23 Aug 2018

O SINTE/RN está convocando uma reunião com os trabalhadores terceirizados que atuam nas escolas da rede municipal de Natal para tratar dos atrasos de pagamento do segmento. A reunião acontecerá nesta sexta-feira (24/08), às 9h, na sede Estadual do Sindicato.  

O encontro também pautará as ameaças de demissão que os profissionais podem vir a sofrer. Na ocasião, a assessoria jurídica do Sindicato estará presente para explicar a situação e tirar dúvidas. 

SEM PAGAMENTO HÁ TRÊS MESES, FUNCIONÁRIOS TERCEIRIZADOS DE ESCOLAS DE NATAL PARALISAM ATIVIDADES

Diversos funcionários terceirizados que cuidam da limpeza e preparo da alimentação das escolas de Natal estão com as atividades paralisadas. A parada acontece porque os salários dos profissionais estão atrasados, bem como o vale transporte não está sendo fornecido pela Prefeitura.

A Escola Municipal Henrique Castriciano, nas Rocas, exemplifica a situação. A instituição está há pelo menos uma semana sem aula. O SINTE/RN esteve por lá nessa terça-feira (21) e constatou que os professores estavam reunidos na coordenação. Entretanto, os reflexos da parada dos terceirizados eram visíveis. As salas de aula e o refeitório, que apresentavam sinais de ausência de limpeza, estavam sem alunos. A cozinha não tinha nenhum funcionário.

Em depoimento, os professores da escola contaram que os terceirizados da limpeza estão há um mês sem receber salário e que o vale transporte não está sendo fornecido. A situação dos profissionais que preparam a alimentação é ainda pior, pois há três meses os salários não estão sendo depositados, tampouco o vale transporte.

As informações são desencontradas, mas o que vem sendo alardeado é que os salários estão atrasados porque a Prefeitura não repassou os valores às empresas terceirizadas a que estão ligados os profissionais.

A diretora de aposentados do SINTE/RN, professora Marlene Moura, critica a situação lembrando que a culpa é da Prefeitura: “A escola está parada por culpa da Prefeitura, que tanto exige o cumprimento dos 200 dias letivos. Mas cadê as condições para trabalhar? Sem salário e transporte fica inviável”.

NATAL

SINTE convoca reunião com terceirizados das escolas de Natal para tratar dos atrasos de pagamento

133

23 Aug 2018

O SINTE/RN está convocando uma reunião com os trabalhadores terceirizados que atuam nas escolas da rede municipal de Natal para tratar dos atrasos de pagamento do segmento. A reunião acontecerá nesta sexta-feira (24/08), às 9h, na sede Estadual do Sindicato.  

O encontro também pautará as ameaças de demissão que os profissionais podem vir a sofrer. Na ocasião, a assessoria jurídica do Sindicato estará presente para explicar a situação e tirar dúvidas. 

SEM PAGAMENTO HÁ TRÊS MESES, FUNCIONÁRIOS TERCEIRIZADOS DE ESCOLAS DE NATAL PARALISAM ATIVIDADES

Diversos funcionários terceirizados que cuidam da limpeza e preparo da alimentação das escolas de Natal estão com as atividades paralisadas. A parada acontece porque os salários dos profissionais estão atrasados, bem como o vale transporte não está sendo fornecido pela Prefeitura.

A Escola Municipal Henrique Castriciano, nas Rocas, exemplifica a situação. A instituição está há pelo menos uma semana sem aula. O SINTE/RN esteve por lá nessa terça-feira (21) e constatou que os professores estavam reunidos na coordenação. Entretanto, os reflexos da parada dos terceirizados eram visíveis. As salas de aula e o refeitório, que apresentavam sinais de ausência de limpeza, estavam sem alunos. A cozinha não tinha nenhum funcionário.

Em depoimento, os professores da escola contaram que os terceirizados da limpeza estão há um mês sem receber salário e que o vale transporte não está sendo fornecido. A situação dos profissionais que preparam a alimentação é ainda pior, pois há três meses os salários não estão sendo depositados, tampouco o vale transporte.

As informações são desencontradas, mas o que vem sendo alardeado é que os salários estão atrasados porque a Prefeitura não repassou os valores às empresas terceirizadas a que estão ligados os profissionais.

A diretora de aposentados do SINTE/RN, professora Marlene Moura, critica a situação lembrando que a culpa é da Prefeitura: “A escola está parada por culpa da Prefeitura, que tanto exige o cumprimento dos 200 dias letivos. Mas cadê as condições para trabalhar? Sem salário e transporte fica inviável”.

Agenda

Newsletter