Notícias

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Dia do Trabalhador é marcado por Ato contra a Reforma da Previdência

169

1 May 2019

A manhã de 1º de maio, data em que se recorda os trabalhadores, foi de resistência em Natal. Representantes do SINTE/RN, lideranças de outros sindicatos, movimentos sociais e trabalhadores participaram de um ato unificado contra a Reforma da Previdência, em defesa da aposentadoria e rumo à Greve Geral, convocada pelos setores da Educação para o dia 15 de maio.

O ato é um atividade de resistência e de luta democrática que ocorre em um momento de ataque aos direitos dos trabalhadores pelo Governo Federal.

1º DE MAIO
A história do Dia do Trabalhador tem início em 1º de maio de 1886, quando estoura uma greve geral nos Estados Unidos. Na ocasião, trabalhadores reivindicavam melhores condições de trabalho e redução da jornada, que além de ser domingo a domingo, era de 12h/dia.

No dia seguinte, 02, a polícia entra em choque com os grevistas e nove deles são mortos em uma cidadezinha perto de Chicago. No dia 03, mais quatro operários são mortos pela polícia. Em resposta, um dos líderes da greve, August Spies, convoca para o dia 4 de maio, um ato público contra a repressão policial. No final da tarde do dia 04, quando Samuel Fielden iniciava seu discurso, o chefe de polícia exigiu que ele descesse do palanque. Enquanto discutiam, uma bomba explode no meio da multidão. Um policial morre e polícia abre fogo, ocasionando a morte de operários.

A polícia de Chicago prende oito líderes da greve. Em outubro de 1887 cinco deles são condenados à morte, os outros à prisão perpétua.

Dois anos após esses eventos, o Congresso Internacional dos Partidos Socialistas decide proclamar o 1º de maio como Dia Internacional do Trabalho. Na data deveriam ser realizadas manifestações e desfiles em todas as partes do mundo. Na terceira Internacional Socialista, realizada em 1919, a data passa a ser intitulada Dia Internacional dos Trabalhadores.

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Dia do Trabalhador é marcado por Ato contra a Reforma da Previdência

169

1 May 2019

A manhã de 1º de maio, data em que se recorda os trabalhadores, foi de resistência em Natal. Representantes do SINTE/RN, lideranças de outros sindicatos, movimentos sociais e trabalhadores participaram de um ato unificado contra a Reforma da Previdência, em defesa da aposentadoria e rumo à Greve Geral, convocada pelos setores da Educação para o dia 15 de maio.

O ato é um atividade de resistência e de luta democrática que ocorre em um momento de ataque aos direitos dos trabalhadores pelo Governo Federal.

1º DE MAIO
A história do Dia do Trabalhador tem início em 1º de maio de 1886, quando estoura uma greve geral nos Estados Unidos. Na ocasião, trabalhadores reivindicavam melhores condições de trabalho e redução da jornada, que além de ser domingo a domingo, era de 12h/dia.

No dia seguinte, 02, a polícia entra em choque com os grevistas e nove deles são mortos em uma cidadezinha perto de Chicago. No dia 03, mais quatro operários são mortos pela polícia. Em resposta, um dos líderes da greve, August Spies, convoca para o dia 4 de maio, um ato público contra a repressão policial. No final da tarde do dia 04, quando Samuel Fielden iniciava seu discurso, o chefe de polícia exigiu que ele descesse do palanque. Enquanto discutiam, uma bomba explode no meio da multidão. Um policial morre e polícia abre fogo, ocasionando a morte de operários.

A polícia de Chicago prende oito líderes da greve. Em outubro de 1887 cinco deles são condenados à morte, os outros à prisão perpétua.

Dois anos após esses eventos, o Congresso Internacional dos Partidos Socialistas decide proclamar o 1º de maio como Dia Internacional do Trabalho. Na data deveriam ser realizadas manifestações e desfiles em todas as partes do mundo. Na terceira Internacional Socialista, realizada em 1919, a data passa a ser intitulada Dia Internacional dos Trabalhadores.

Agenda

Newsletter