Notícias

NATAL

Em assembleia, educadores de Natal decidem realizar ato em protesto contra o travamento da pauta

244

24 Oct 2019

Os educadores de Natal decidiram fazer um ato em frente à Prefeitura para protestar contra o travamento da pauta. A decisão da categoria foi tomada em assembleia na tarde desta quinta-feira (24), na sede estadual do SINTE/RN. O dia 11 de novembro foi a data escolhida para a atividade ser realizada a partir das 14h30.

A pauta dos profissionais da capital acumula cerca de 40 itens, entre eles os passivos dos pisos salariais de 2017 e 2018 e os 10% de reposição acertados na greve de 2013.

A assembleia também aprovou realizar um debate entre a categoria acerca do que é o projeto das escolas cívico-militar. Outra decisão foi a de promover um protesto na Escola Municipal Veríssimo de Melo, que é primeira unidade escolhida pela Prefeitura para implementar o programa das escolas cívico-militar. Por enquanto a atividade está sem data marcada. Confira abaixo todos as deliberações tiradas no encontro dos educadores:

Natal

  1. Continuar o processo de eleições por local de trabalho;
  2. Realizar sessão solene com entrega de comendas a personagens que fazem parte da história do SINTE, por ocasião dos 30 anos do Sindicato;
  3. Confeccionar a revista de 30 anos do SINTE;
  4. Preparar material sobre a Reforma da Previdência;
  5. Discutir com a categoria o adiamento do ano letivo 2020, caso não exista garantia de que a nossa pauta será atendida;
  6. Aprovar que somos contrários ao Programa Nacional de Escola Cívico-Militar e debater com a categoria;
  7. Realizar discussão nas escolas sobre o não início do ano letivo 2020;
  8. Construir a Parada Nacional convocada pela CNTE.

Nacional

  1. Lutar para que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do FUNDEB PERMANENTE seja aprovada até 31 de dezembro de 2020;
  2. Apoiar o projeto de Lei da deputada federal Dorinha (DEM-TO) que tramita no Congresso Nacional e propõe o aumento para 40% do percentual de participação federal;
  3. Lutar contra a precarização da educação pública no país;
  4. Participar da campanha pelo FUNDEB PERMANENTE que a CNTE, junto a outras entidades, lançará até o dia 27 de novembro, com o objetivo de alertar pais, alunos e sociedade sobre as consequências do fim do Fundeb e o porquê é necessário defender a sua manutenção;
  5. Lutar pela manutenção da cesta que compõe a vinculação de recursos para a educação e que está ameaçada de desvinculação;
  6. Lutar para não acabar o piso salarial e o fator de correção salarial;
  7. Lutar para impedir que Paulo Guedes envie emenda à Constituição que retira a obrigatoriedade da união destinar 18% para a educação, bem como as parcelas dos Estados e Municípios de ter 25% dos impostos arrecadados.
NATAL

Em assembleia, educadores de Natal decidem realizar ato em protesto contra o travamento da pauta

244

24 Oct 2019

Os educadores de Natal decidiram fazer um ato em frente à Prefeitura para protestar contra o travamento da pauta. A decisão da categoria foi tomada em assembleia na tarde desta quinta-feira (24), na sede estadual do SINTE/RN. O dia 11 de novembro foi a data escolhida para a atividade ser realizada a partir das 14h30.

A pauta dos profissionais da capital acumula cerca de 40 itens, entre eles os passivos dos pisos salariais de 2017 e 2018 e os 10% de reposição acertados na greve de 2013.

A assembleia também aprovou realizar um debate entre a categoria acerca do que é o projeto das escolas cívico-militar. Outra decisão foi a de promover um protesto na Escola Municipal Veríssimo de Melo, que é primeira unidade escolhida pela Prefeitura para implementar o programa das escolas cívico-militar. Por enquanto a atividade está sem data marcada. Confira abaixo todos as deliberações tiradas no encontro dos educadores:

Natal

  1. Continuar o processo de eleições por local de trabalho;
  2. Realizar sessão solene com entrega de comendas a personagens que fazem parte da história do SINTE, por ocasião dos 30 anos do Sindicato;
  3. Confeccionar a revista de 30 anos do SINTE;
  4. Preparar material sobre a Reforma da Previdência;
  5. Discutir com a categoria o adiamento do ano letivo 2020, caso não exista garantia de que a nossa pauta será atendida;
  6. Aprovar que somos contrários ao Programa Nacional de Escola Cívico-Militar e debater com a categoria;
  7. Realizar discussão nas escolas sobre o não início do ano letivo 2020;
  8. Construir a Parada Nacional convocada pela CNTE.

Nacional

  1. Lutar para que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do FUNDEB PERMANENTE seja aprovada até 31 de dezembro de 2020;
  2. Apoiar o projeto de Lei da deputada federal Dorinha (DEM-TO) que tramita no Congresso Nacional e propõe o aumento para 40% do percentual de participação federal;
  3. Lutar contra a precarização da educação pública no país;
  4. Participar da campanha pelo FUNDEB PERMANENTE que a CNTE, junto a outras entidades, lançará até o dia 27 de novembro, com o objetivo de alertar pais, alunos e sociedade sobre as consequências do fim do Fundeb e o porquê é necessário defender a sua manutenção;
  5. Lutar pela manutenção da cesta que compõe a vinculação de recursos para a educação e que está ameaçada de desvinculação;
  6. Lutar para não acabar o piso salarial e o fator de correção salarial;
  7. Lutar para impedir que Paulo Guedes envie emenda à Constituição que retira a obrigatoriedade da união destinar 18% para a educação, bem como as parcelas dos Estados e Municípios de ter 25% dos impostos arrecadados.

Agenda

Newsletter